sexta-feira, 11 de março de 2011

Sinfonias e Concertos


Sinfonias


Sinfonia No.1 em D Maior

  1. Allegro
  2. Andante
  3. Presto


Sinfonia No.2 em G Maior


Sinfonia No.3 em Bb Maior


Sinfonia No.4 em A menor


Sinfonia No.5 em C Maior (2a. FASE)


6 comentários:

  1. Suas composições, são bem legais, tem alguma coisa gravada

    Romulo

    ResponderExcluir
  2. Oi Rômulo,

    Desculpe na demora em responder! Só hoje que vi sua mensagem aqui, pois faz tempo que não atualizava esse meu blog... Mil desculpas.

    Infelizmente, até o momento, não há nada meu gravado. Seria um sonho para mim. Há alguns anos atrás eu e um grupo de amigos estávamos gravando algumas composições, porém um deles faleceu e paramos a gravação...

    ResponderExcluir
  3. Olá, Boa Noite.
    Estou compondo para orquestra sinfônica, mas tenho algumas dúvidas, uma delas é o equilíbrio das vozes e dos naipes, muitos falaram que eu só incapaz de compor uma peça assim, mas isso é um desafio para mim, não sou formado ainda mas já tenho algumas composição para piano. Teria alguma sugestão para me ajudar?
    Meu email é abrahao58@hotmail.com

    Desde já eu agradeço!

    ResponderExcluir
  4. Olá Abrahão,
    A primeira coisa que você tem que fazer é conhecer os sons dos instrumentos, o timbre em cada região/tessitura, a força que o instrumento tem, e outros pormenores... Isso serve para vc saber se um som vai sobressair a outro. Por exemplo, se você colocar p (piano) para uma trompa e para uma flauta tocando ao mesmo tempo, você deve tomar o cuidado de um instrumento sobressair o outro (neste caso a trompa), porém isso ainda pode ser compensado durante a execução (geralmente, pelo Maestro).
    A outra coisa é você escutar muitas orquestras acompanhando com uma partitura, e percebendo o que o compositor fez... Como ele usou um determinado instrumento para ter um determinado efeito, etc... Mas mesmo assim ainda há o toque do Maestro, da gravação, etc...
    Enfim, realmente não é fácil dizer em poucas linhas, mas o que posso dizer é analise, analise, analise o máximo de músicas orquestradas que puder... E tire proveito do que você puder com experimentações até você aprender as técnicas de orquestração. Mas lembre-se, não comece grande... comece com poucos instrumentos e vá aumentando a medida que sentir confiança...
    abraços,

    ResponderExcluir
  5. Eu um dia vi na tv que um menino de 15 anos la dos EUA era um prodigio do piano, mas nao era compositor, veio criticar a nona sinfonia, pensei o seguinte, pra criticar no minimo vice tem q ter feito uma sinfonia. Dai eu com 15 anos comecei a compor para 35 instrumentos. Ja comecei pelo mais dificil. Se quiser dar uma olhada na sinfonia. So lembrando que nessa epoca eu nao sabia quase nada de teoria.fiz sem conhecimento apenas com intuiçao, sei q nao ficou boa mas..

    ResponderExcluir
  6. Eu um dia vi na tv que um menino de 15 anos la dos EUA era um prodigio do piano, mas nao era compositor, veio criticar a nona sinfonia, pensei o seguinte, pra criticar no minimo vice tem q ter feito uma sinfonia. Dai eu com 15 anos comecei a compor para 35 instrumentos. Ja comecei pelo mais dificil. Se quiser dar uma olhada na sinfonia. So lembrando que nessa epoca eu nao sabia quase nada de teoria.fiz sem conhecimento apenas com intuiçao, sei q nao ficou boa mas..

    ResponderExcluir

Minhas Visitas